A Agro

Parecis SuperAgro aproximará produtor de sturtups de tecnologia e deve movimentar mais de R$ 150 mi

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Frente ao ritmo acelerado da inovação, a feira Parecis SuperAgro chega a sua 11ª edição com uma proposta ainda mais técnica, voltada a consolidação da relação entre produtor rural e tecnologia. Sob o tema “Revolução Digital no Campo, como acompanhar essa transformação?”, o evento, pioneiro no Estado, contará com uma série de palestras e painéis gratuitos para orientar empresários e profissionais do setor.

 

Com espaço ampliado para 154 expositores, 50 a mais que no último ano, o evento deve ser palco para o fechamento de mais de R$ 150 milhões em negócios, como explica a presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Giovana Velke. “O foco da organização é informar e esclarecer dúvidas do produtor rural, trazer as novidades do mercado e criar um ambiente propício para negócios entre produtores rurais, investidores de tecnologia e expositores participantes.”

 

Ao Agro Olhar ela contou que em 2018, pela primeira vez, a feira contará com a presença de startups de tecnologia, prontas a auxiliar a produção rural. Para isso o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) entra em cena como coorealizador da SuperAgro, levando à região a rede de inovação em agricultura e pecuária através do Agrihub.

 

O sistema identifica as necessidades dos produtores rurais e os conecta a startups, empresas de tecnologia, pesquisadores e investidores para promover o melhor ajuste das tecnologias ao campo. “A partir disso mostraremos como tecnologias simples e baratas podem resolver problemas na lavoura”, diz.

 

Ao contrário do que se possa imaginar, o agricultor tem se mostrado cada vez mais aberto a inovação. Isso porque, segundo Giovana, todas essas novidades potencializam os ganhos com a produção. “O produtor rural adora tecnologia, porque isso significa maior ganho de produção, então ele não porquê ir contra. A inovação facilita no levantamento de dados, correção de aplicações, previsão de tempo e outras coisas.”

 

A feira tecnológica se tornou referência por promover discussões que envolvem produtores rurais, empresas, entidades de classe e estudantes. Assim, além das vitrines tecnológicas, o evento será uma oportunidade para que os produtores fiquem por dentro das soluções. Para esta edição, o sindicato ampliou o espaço físico da feira e deve contemplar ainda mais expositores.

 

O evento começa na segunda-feira (9 de abril) e se estende até o dia 12, fechando com uma etapa do Projeto Mais Milho.

 

André Garcia Santana - Agro Olhar