A Agro

Aprosoja pede que produtores levem máquinas a rodovias em apoio a greve dos caminhoneiros

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) conclamou os produtores rurais a aderir ao movimento grevista dos caminhoneiros, que entrou no seu quarto dia, nesta quinta-feira (25). O presidente da Aprosoja, Antônio Galvan, disse que a associação apoia o ato e pediu que todos levem seus maquinários para as rodovias.

 

“Conclamamos toda a sociedade, em especial a nós produtores rurais, para estarmos juntos com os caminhoneiros neste manifesto, que é da sociedade. Chamamos todos para estar juntos. Levem máquinas, participem, estejam juntos e chamem as pessoas de sua cidade. Vamos fazer faixas: privatizem a Petrobrás”, disse o presidente da Aprosoja em um comunicado publicado no Youtube.

 

Galvan ainda acrescentou que “ontem (23), o governo anunciou uma baixa de 10% do combustível. Queremos no mínimo 25% e a garantia de que continue assim até o fim do ano. Temos que privatizar esta Petrobrás, só serve para meia dúzia de políticos que estão no poder”, finalizou.

 

A Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Mato Grosso (Acomac/MT) e o Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Elétrica, Hidráulica, Louças, Tintas, Ferragens e Vidraçaria de Mato Grosso (Sindcomac/MT) também emitiram nota apoiando o movimento.

 

Os caminhoneiros estão passando dia e noite nos pontos de bloqueio. A comida e água que recebem, são de doações. Além disto, acrescentaram que só pretendem desmobilizar o movimento quando o problema for resolvido.

 

Em razão da greve dos caminhoneiros que paralisaram o transporte e o consequente bloqueio nas bases de distribuição, o abastecimento nos postos está comprometido. Com a falta de produto em alguns estabelecimentos, os usuários passam a procurar outros. Além disto, o medo de que acabe o combustível também aumenta a demanda, o que pode esgotar todas as reservas dos postos.

 

Em Sorriso, por exemplo, há um posto com fila de veículos e o abastecimento só vai durar por mais uma hora. Em muitos estabelecimentos no interior há apenas óleo diesel nos tanques. Há confirmações de postos sem produtos em Tapurah, Primavera do Leste, Nova Xavantina, Diamantino e Juína.

 

A mobilização foi proposta pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e iniciou na manhã desta segunda-feira (21). Em razão dos pesados impostos e do baixo valor dos fretes, a categoria afirma que enfrenta uma grave crise e articula ações em todo o país para evidenciar o descontentamento com a atual política econômica. A PRF mantêm o diálogo com os caminhoneiros.