P Polícia

Homem é preso em Sapezal por estuprar enteada e enviar vídeos pornográficos para o celular da adolescente

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Um homem acusado de abusar sexualmente da enteada teve o mandado de prisão preventiva cumprido pela Polícia Judiciária Civil, na manhã desta quarta-feira (26), na zona rural de Sapezal, a 480 km de Cuiabá.

 

O suspeito, de 37 anos, teve a ordem de prisão decretada pela Comarca de Sapezal, acusado de estupro de vulnerável contra a vítima, de 13 anos.

 

As investigações iniciaram no final do mês de agosto, quando a mãe da vítima procurou a Polícia Civil, relatando que morava com o suspeito há cerca de 7 anos. Segundo a comunicante, ela encontrou no aparelho celular da filha adolescente, vídeos de conteúdos pornográficos, enviados pelo seu companheiro, além de mensagens do suspeito assediando a adolescente.

 

Durante conversa com a filha, a adolescente revelou que foi abusada pelo padrasto diversas vezes. Segunda a vítima, os abusos começaram quando ela tinha 11 anos. Diante das informações, foi realizado trabalho investigativo, com a oitiva de testemunhas e realização de exame na vítima que comprovaram os abusos.

 

Com base nos elementos comprobatórios, o delegado Valmon Pereira da Silva representou pelo mandado de prisão preventiva do padastro, por estupro de vulnerável, deferido pela Justiça. O suspeito foi localizado pelos policiais civis trabalhando em uma propriedade agrícola, a cerca de 50 quilômetros da cidade de Sapezal, onde teve o mandado de prisão preventiva cumprido.

 

Conduzido à Delegacia de Polícia, o preso foi interrogado pelo delegado Valmon Pereira da Silva, e posteriormente encaminhado para Cadeia Pública de Juína, permanecendo à disposição da Justiça.

 

“Infelizmente esses tipos de casos acontecem. É preciso que a figura materna precisa ter cuidado ao assumir um relacionamento e levar a pessoa para dentro de casa, pois muitas vezes ela pode trazer o perigo para dentro do seu lar” alertou o delegado.

 

G1 MT
Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria