M MT

Idoso pede cestas básicas como presente de aniversário de 100 anos e doa sacolões a famílias carentes em Cuiabá

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Um idoso pediu cestas básicas como presente de aniversário de 100 anos, comemorado no dia 17 de setembro, em Cuiabá. Adriano Gonçalves de Amorim conseguiu arrecadar 240 sacolões, que foram doados a famílias carentes, na última terça-feira (8).

No convite enviado a amigos e familiares Adriano diz: “Quer presentear? Sugiro uma cesta básica para as famílias assistidas pela Paróquia São Gonçalo”. Também foi informado o número da conta bancária dele para que familiares e amigos de outras cidades pudessem fazer doações em dinheiro.

Adriano contou ao G1 que sempre fez caridade e que desta vez não seria diferente, pois o melhor presente, segundo ele, seria ajudar quem mais precisa.

“Já estou com a idade avançada. Não vou mais aproveitar os presentes, então decidi colocar no convite as cestas básicas para doação como sugestão”, explicou.

O aniversariante disse que acompanhou toda a compra e entrega dos sacolões. “Fiquei muito feliz. É pouco, mas para quem precisa pode representar muito”, disse.

Um dos 12 filhos de Adriano, Lázaro Batismo contou que o pai é um exemplo de fé e solidariedade e que sempre orientou os filhos a fazerem o mesmo.

“É com ele que aprendemos a sermos pessoas melhores. Ele sempre ajudou as pessoas com doações. Meu pai é um exemplo para todos nós”, ressaltou.

Segundo Lázaro, o pai comemorou o aniversário com uma missa na igreja a qual frequenta, em Cuiabá, e doou salgadinhos para toda a comunidade comemorar a data com ele.

No dia 20 de setembro, ele também fez uma festa para 400 convidados, entre amigos e familiares.

“No verso do convite ele colocou a sugestão de presente, que era a doação de cestas ou dinheiro para que pudéssemos comprá-las. As doações superaram nossas expectativas. Ele é humilde, não tem vaidade, e ficou feliz com o resultado”, disse.

Quando completou 90 anos de vida, ele fez o mesmo. Arrecadou jogos de lençol e outras roupas de cama e doou para um abrigo de idosos, em Cuiabá.

“Eu fazia parte da diretoria (do abrigo) e sabia da necessidade deles, por isso, pedi jogos de cama como presente e consegui arrecadar 150”, contou o idoso.

A história de Adriano

Nascido em 1919, em um sítio em Nossa Senhora do Livramento, a 42 km de Cuiabá, Adriano se mudou com a família para Várzea Grande, região metropolitana da capital, aos 10 anos.

Na época, ainda não existia a Ponte Júlio Müller e Adriano atravessava o Rio Cuiabá de barco todos os dias para trabalhar, em Cuiabá, e ajudar a família.

Aos 20 anos, iniciou a carreira militar no Exército Brasileiro e, de soldado, passou a ser capitão. Segundo a família, ele sempre foi dedicado ao trabalho e as causas sociais.

Depois de 35 anos trabalhando no Arsenal de Guerra, se aposentou.

A família contou que Adriano se casou aos 25 anos e teve 12 filhos, que lhes renderam 36 netos, 41 bisnetos e dois tataranetos.

G1/MT