C CNP

Mão de obra de detentos gera benefícios econômicos e sociais em Campo Novo do Parecis

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Através de um termo de cooperação, firmado entre o Poder Judiciário, Executivo Municipal e Conselho da Comunidade, a prefeitura de Campo Novo do Parecis vem utilizando mão de obra de reeducandos da Cadeia Pública do município.

 

A mão de obra é utilizada na limpeza da cidade, reformas e pequenas obras. O projeto completa 5 meses de funcionamento e mostra de forma concreta a viabilidade tanto econômica quanto social. É o que garante o prefeito Rafael Machado.

 

“O projeto está gerando grandes resultados. Em parceria com outras entidades, usa-se a mão de obra de reeducandos na limpeza da cidade, reformas e pequenas obras. Dessa maneira estamos economizando e dando nova oportunidade a quem pretende ressocializar e retornar ao convívio da sociedade com novas chances".

 

Para o detento J.F.S., participar do projeto é uma nova oportunidade. “Hoje através desse projeto, a gente consegue ajudar nossos filhos, a família e ainda estamos nos preparando para voltar para a sociedade”.

 

O reeducando I.M.C., diz ser um recomeço a oportunidade dada. “Significa um recomeço para mim, apesar do que eu fiz de errado, estou tendo essa oportunidade de voltar a trabalhar e quero agradecer a iniciativa desse trabalho”.

 

A Juíza de Direto da 2ª Vara da Comarca de Campo Novo do Parecis, Cláudia Anffe Nunes da Cunha, visitou o projeto e manteve contato com os detentos. Ela se surpreendeu positivamente com os primeiros resultados do projeto. “Conversei com eles e teve um efeito melhor do que a gente esperava. É pouco tempo que estão trabalhando, cerca de 5 meses e a expectativa deles é que cada vez melhore”.

 

A magistrada destacou também a importância da iniciativa do projeto, de ver que o trabalho dos detentos é um anseio da sociedade e que ao mesmo tempo reintegra o preso ao convívio da sociedade de forma gradativa e mais humanizada.

 

O reeducando que participa do projeto, além de remição de pena, recebe o valor de R$ 954,00. É de responsabilidade da Diretoria da Cadeia Pública a seleção dos detentos que participarão do Termo de Colaboração.