A Agro

Tangará da Serra e Campo Novo do Parecis recebem a Rodada Técnica Aprosmat 2018 nesta quarta-feira

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Depois de percorrer as cidades de Sorriso e Nova Mutum com grande sucesso a Rodada Técnica Aprosmat 2018 chega nesta quarta-feira (09/05), nas cidades Tangará da Serra e Campo Novo do Parecis. Promovida pela Associação dos Produtores de Sementes do Mato Grosso a Rodada tem como objetivo estimular um debate e mudanças práticas necessárias com investimento nos fatores e processos que geram rentabilidade e estabilidade na produção de grãos.

 

Em Tangará da Serra o evento acontece às 14 horas, no Sindicato Rural de Tangará da Serra. Em Campo Novo do Parecis, às 19 horas, no Thais Eventos. No dia 10 de maio, a rodada será em Querência, às 19 horas, no Sindicato Rural de Querência. O encerramento será dia 11 de maio em Primavera do Leste, às 19 horas, na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Primavera do Leste.

 

Além da rica troca de experiência, debates e muito conhecimento, a Rodada Técnica Aprosmat 2018 conta com a palestra “A Busca de Lavouras de Alta Rendimento, Mitos e Verdades”, ministrada pelo especialista no assunto, o pesquisador Dirceu Gassen.

 

De acordo com Gassen, a soja é o ciclo econômico mais importante e de maior valor na história do Brasil e o agricultor tornou-se referência na produção e comercialização mundial de proteína e óleo vegetal. O palestrante explica, que as tecnologias embarcadas na semente envolvem a biotecnologias de resistência a herbicidas e a lagartas, hábitos de crescimento indeterminado e mudanças na arquitetura de plantas e folhas. Pois junto as novas tecnologias, evoluíram as populações resistentes de plantas daninhas, percevejos, mosca-branca e outras pragas que ameaçam a cultura da soja. Além de nematoides e patógenos de raízes. “Toda essa evolução dos conhecimentos e da produtividade geram novas demandas para o manejo da cultura”, diz.

 

Quanto aos mitos da soja, Dirceu pontua que são mecanismos mentais para explicar os processos e fenômenos que garantiram a produtividade e resultados obtidos até agora. “As novas realidades de potencial de produção, genética, qualidade de sementes, semeadura, pragas, população de plantas, distribuição espacial, área foliar e ciclo curto, exigem mudanças nos modelos mentais de manejo das culturas. Cada vez mais é necessário medir os componentes que determinam a produtividade da lavoura, interpretar os resultados e determinar as mudanças que geram resultados com rentabilidade”, finaliza.

 

A Rodada Técnica Aprosmat 2018 conta com o apoio do Conselho Estadual das Associações de Revendas de Produtos Agropecuários de Mato Grosso (Cearpa), Associação dos Engenheiros Agrônomos de Primavera do Leste (AEAPL), Associação dos Engenheiros Agrônomos de Tangará da Serra (AEATGA), Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sorriso (AEAS), Sindicato Rural de Nova Mutum, Sindicato Rural de Tangará da Serra, Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis e Sindicato Rural de Querência.

 

Cairo Lustoza – Pauta Pronta